sábado , 20 Janeiro 2018
Início >> Inovação >> Alunos de tecnologia realizam projetos sustentáveis com base na inovação

Alunos de tecnologia realizam projetos sustentáveis com base na inovação

Estudantes criaram diversos projetos durante o semestre e exibem os resultados em mostras universitárias.

Por Unifor – 

Soluções sustentáveis aliadas à tecnologia guiam o evento.  (Foto: Ares Soares/Unifor)

Soluções sustentáveis aliadas à tecnologia guiam o evento. (Foto: Ares Soares/Unifor)

Desenvolver projetos e apresentar produtos e serviços, com o objetivo de buscar soluções viáveis e, principalmente, sustentáveis. Esses têm sido os principais pilares dos alunos do Centro de Ciências Tecnológicas (CCT) da Universidade de Fortaleza, que aproveitam as disciplinas integradoras e os grupos de pesquisa e de estudo da instituição para aplicar na prática os conhecimentos apreendidos em sala de aula.

Neste sentido, ocorreu no último sábado, 2 dezembro 2017, o Dia T, evento organizado pelo CCT que visa oportunizar aos estudantes a possibilidade de desenvolver trabalhos e expô-los para o meio acadêmico e para o público externo, formado por empresas e estudantes do ensino médio. O evento contou com trabalhos desenvolvidos durante o semestre 2017.2, competições e diversos outros projetos ligados à sustentabilidade.

No Dia T, os estudantes entram em contato com propostas inovadoras e criativas. (Foto: Ares Soares/Unifor)

No Dia T, os estudantes entram em contato com propostas inovadoras e criativas. (Foto: Ares Soares/Unifor)

As disciplinas que integram vários cursos e os desafios que incentivam os alunos a buscarem soluções são os fatores principais que beneficiam os alunos de tecnologia, explica o professor Jackson Sávio, diretor do CCT. “Há diversas disciplinas em que os processos avaliativos são integrados. Temos alunos de engenharia civil trabalhando com alunos de arquitetura e urbanismo e engenharia ambiental, entre outros. Parecem assuntos divergentes, mas fazem toda a diferença. O nosso profissional irá solucionar problemas e se ver como uma pessoa capaz de desenvolver soluções”, explica.

A fim de incentivar os alunos a colocarem a teoria em prática já nos primeiros semestres da graduação, a Unifor estimula a participação deles em laboratórios experimentais e empresas juniores, como é o caso, por exemplo, da Construtiva Jr. (CJR), que também marcou presença no Dia T. De acordo com o estudante Artur de Sousa, do 2º semestre de engenharia civil e integrante da empresa júnior, a CJR tem como principal objetivo ajudar pessoas a conquistar objetivos relacionados à engenharia civil e arquitetura e urbanismo. “A gente visa conquistar o sonho do nosso cliente, que geralmente não possui condições de bancar esse serviço. Nosso projetos todos pretendem impactar a sociedade para que nosso objetivo de um mundo melhor seja atingido”, ressalta

Grupos de todas as áreas do CCT participam de competições e exposições de trabalhos elaborados ao longo das disciplinas.   (Foto: Ares Soares/Unifor)

Grupos de todas as áreas do CCT participam de competições e exposições de trabalhos elaborados ao longo das disciplinas. (Foto: Ares Soares/Unifor)

Os desafios também fazem parte do dia-a-dia dos alunos do CCT. A estudante Elenilsa Pessoa, do 2º semestre de engenharia de controle e automação, criou um “lego”, microcontrolador acionado por códigos, sistema comum na robótica. Para alcançar o objetivo – no caso, de fazer o protótipo seguir caminho determinado -, o robô só poderia contar com um sensor de luz, provocação lançada pelo professor. “Foram dias ‘quebrando a cabeça’, mas valeu a pena. Estamos nos apresentando para empresários, então é muito gratificante poder apresentar o que a gente trabalhou por seis meses e ver a reação das pessoas”, conclui a estudante, que participou pela segunda vez do Dia T.

Dia T

Com o tema de “Cidades Sustentáveis”, a sexta edição Dia T contou com as tradicionais competições, como a ponte de macarrão – pela qual ganha a que aguentar mais peso -, e a corrida de barquinhos e pretendeu mostrar aos alunos e futuros estudantes da Universidade as várias vertentes da área da tecnologia e as possibilidades de integração e sustentabilidade nos processos de criação.

Sobre Rose Meusburger

Veja também

Estudantes mineiros vencem competição na Finlândia

O Ultrahack Sprint II reúne estudantes do mundo todo para competir em diferentes hackathons. Os estudantes da UFMG venceram o Health Hack, cujo objetivo foi o desenvolvimento de soluções para auxiliar pacientes com mal de Parkinson por meio de estratégias de gamificação. A esse prêmio se juntou o de melhor solução mobile para o Polar Smart Watch.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *